Foniatria

A Foniatria é uma especialidade médica, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina e Associação Médica Brasileira no Brasil desde 1972, sendo atualmente uma área de atuação da Otorrinolaringologia.

O foniatra é o médico especializado nos Distúrbios de Comunicação e Aprendizagem. Portanto, apresenta como principal atuação ser um facilitador e cuidador do desenvolvimento da linguagem, incluindo-se a aprendizagem.

A linguagem não se processa em um único órgão ou sistema, sendo, na verdade, uma síntese da fisiologia humana, em que todo o organismo desenvolve a linguagem, como uma grande unidade funcional, que não pode ficar restrita exclusivamente ao cérebro, audição, laringe ou visão.

A formação do foniatra necessita da visão interdisciplinar, ocupando-se das interfaces entre a otorrinolaringologia, neurologia e psiquiatria, assim como disciplinas das ciências das humanidades: linguística, pedagogia, sociologia, antropologia, artes e demais áreas da saúde, como fonoaudiologia, fisioterapia, psicologia, psicopedagogia, odontologia. Entrelaça-se também com várias especialidades médicas: genética médica, endocrinologia, ortopedia, fisiatria, oftalmologia, clinica médica, pediatria, etc.

A psicologia do desenvolvimento passa a ter grande importância, incluindo-se teorias pedagógicas sobre como se dá o processamento da aprendizagem, assim também a neurociências e a relação saúde-educação.

Diversas situações clínicas transitam no cotidiano do foniatra:

  • transtornos auditivos, incluindo-se as deficiências auditivas e de outros órgãos dos sentidos, assim como as dificuldades no processamento auditivo, dentro de um contexto de processamento das vivências sensoriais e integração da vida dos sentidos;
  • transtornos de Atenção e Hiperatividade;
  • dificuldades cognitivas/intelectuais, incluindo-se as deficiências;
  • transtornos globais do desenvolvimento (ex:autismo);
  • transtornos de aprendizagem, com os sintomas de dislexia, discalculia, disgrafia e disortografia, entre outros;
  • distúrbios respiratórios;
  • distúrbios posturais, do equilíbrio e locomotores
  • psicopatologias, sociopatias, distúrbios comportamentais, da afetividade e da estruturação psíquica;
  • transtornos de excreção (ex:enurese) e do sono;
  • distúrbios na fala (disartrias, dispraxias, disfluências/gagueira, dislalias/distúrbios articulatórios e disfonias/rouquidão);
  • afasias e seqüelas neurológicas;
  • atrasos no desenvolvimento da fala / linguagem.

O Prof.Dr. Pedro Bloch, pioneiro da foniatria no Brasil, afirma: “A Foniatria não é propriamente uma especialidade médica, mas sim o coroamento de especialidades”.

Foniatria e Antroposofia

A Antroposofia oferece uma visão de homem, humanidade e evolução da Terra- Cosmos  que permite a abordagem da complexidade do humano nos âmbitos físico- anímico-espiritual. Assim, pode-se integrar os diversos sinais e sintomas a todo um contexto em seus fatores inatos, ambientais e da história de vida, compondo-se uma grande Imagem fisiológica e fisiopatológica, em que os processos do desenvolvimento humano e da linguagem, da comunicação humana poderão ser abordados, visando-se gerar saúde e trabalhar diante de dificuldades específica e patologias. Na comunicação humana identificaremos questões clínico-pedagógicas em três grandes campos:

  • como percebo o mundo/impressões sensoriais/cognição (pensar-aprender a conhecer);
  • como compreendo a relação eu-mundo (sentir-aprender a conviver);
  • como  atuo no mundo (querer-aprender a fazer- ações, expressão e memória).

São utilizados medicamentos que a natureza oferece (reino mineral, vegetal e animal), dinamizados ou não, integrados aos medicamentos sintéticos (criados a partir da tecnologia) quando necessários, e também a indicação de procedimentos diagnósticos e cirúrgicos, dentro do amplo contexto.

Associados aos medicamentos, temos o trabalho Interdisciplinar com diversas terapias antroposóficas, das ciências da saúde e da educação, compondo-se uma comunidade médico-terapêutico-pedagógica, visando as transformações necessárias em diferentes âmbitos.

 “O processo da linguagem se baseia nas relações rítmicas entre coração e pulmões (sangue e respiração), sendo que toda a patologia pode ser estudada segundo um processo respiratório perturbado, que pode ser encontrado como sintoma no comportamento lingüístico e curado por meio da linguagem”
Rudolf Steiner

PROFISSIONAL QUE ATUA NESTA ÁREA